Duas Meias, uma Malha e uma Curta (2010)

Fotos


Design Gráfico Mónica Santos
Design Gráfico Mónica Santos

Um relutante conferencista apresenta-se ao respeitável público com o objectivo de palestrar sobre “Os Malefícios do tabaco”. Apesar da sua boa vontade a palestra desvia-se constantemente para os aspectos mais sórdidos da sua vida.
Partindo do mote condutor proporcionado pelo “Os Malefícios do tabaco” inicia-se uma pequena viagem cómico-trágica pelas peças em um acto de Anton Tchekhov (Um pedido de Casamento, O trágico à força e O Urso). Com um espectáculo multidisciplinar (teatro, cinema e dança) se visitam as peripécias e vivências de um pobre diabo.


Encenação

“Anton Tchekhov foi sensível ao drama contemporâneo da sua sociedade e debruçou-se, compassivo e compreensivo, sobre as vidas cinzentas e mesquinhas da pequena burguesia e o drama dos intelectuais. Sentiu o desabar de uma sociedade em crise e registou as vicissitudes da classe média, presa em tradições ancestrais e incapaz de as conciliar com as exigências dos movimentos sociais emergentes.

Contudo, esses movimentos sociais que surgiam, nos quais Tchekhov depositava o seu positivismo sobre a evolução social, são, ironicamente, os mesmos que podemos hoje considerar precursores da crise social que flagela a sociedade dos nossos dias. Nas palavras do autor: “o meu desejo é dizer honestamente às pessoas: olhai-vos um poucochinho e vêde até que ponto a vossa vida é má e sombria. O que importa é que as pessoas se dêem conta deste facto; se chegarem a compreendê-lo hão-de suscitar certamente à sua volta uma outra vida melhor.”

Hoje sabemos que para conhecer a realidade à que abordá-la de diversos prismas, partindo assim da obra deste autor, este espectáculo reúne as visões de várias áreas artísticas na busca de uma interpretação mais complexa e aproximada da realidade. Nesta peça, recorre-se à pluridisciplinariedade como forma de perseguir o mesmo desejo que Tchekhov imprimiu na sua obra: o de contribuir para uma vida melhor.
Este espectáculo integra o teatro, a dança e o cinema num único espectáculo, com pontos de ligação entre as várias obras seleccionadas. Cada vertente goza de total liberdade artística, partilhando uma linha estética comum.
Ao integrar este autor na programação, estamos simultaneamente a homenagear o homem e a obra, assinalando os 150 do seu nascimento. Anton Tchekhov diz-nos “Não viverei, sem dúvida, o bastante para o ver, mas creio que o futuro será muito diferente, uma outra coisa bem diversa da nossa vida actual”, no entanto a sua obra vive e persiste com uma actualidade impar.

Este espectáculo conta com a colaboração da Passos e compassos/DançArte e da Low Cost Filmes.” José Maria Dias



Ficha Artística e Técnica

Textos: Anton Tchekhov | Direcção/Encenação: José Maria Dias | Coreografia: Sofia Belchior | Realização e Câmara: António Aleixo e Pedro Soares | Banda sonora: António Machado, sobre suites para violoncelo de Sebastian Bach | Cenografia, Figurinos e Design gráfico: Mónica Santos | Interpretação: Carla Garcia, Eduardo Dias, Graziela Dias, José Maria Dias, José Lobo e Tiago Cruz | Produção de Vídeo: Low Cost Filmes | Edição vídeo: António Aleixo | Desenho de luz: José Maria Dias| Execução de Guarda-Roupa: Ana Maria Garcia | Direcção de Produção e Divulgação :Graziela Dias | Montagem: Júlio Mendão e Samuel Simão | Frente casa: Manuel Ernesto e Bruno Moreira

52ª Produção Teatro Estúdio Fontenova

Companhia Subsidiada: Câmara Municipal de Setúbal

Apoios: AERSET; Crómia; O Setubalense; iMais/SemMais Jornal; Jornal de Setúbal; O Sul; Setúbal na Rede; Viva Setúbal; Oportunidades & Negócios; Rádio Azul e Setúbal TV On Line.

Agradecimentos: Passos e Compassos /Dançarte; António Marques, António Galrinho e Álvaro Félix.

Teatro Estúdio Fontenova