Espírito Dissolvido (2021)

A nossa relação com o vinho é… ancestral. Como Portugueses temos essa relação a nível económico, e social. Moveu o comércio, fechou negócios, talvez tenha movido muitos dos nossos jantares de família (para o bem e para o mal), e marcado o início de algumas boas (ou más) relações. Começamos pelo verde, doce e inconsequente, jantares de adolescência, passamos para o branco em noites de verão, e caminhamos para o tinto. E quando damos por nós, é essa a profundidade à qual nos ligamos e nos perdemos e encontramos. Como qualquer outro potencial alterador de estado consciência, também o vinho nos transforma. Mas para que finalidade? Para que estado? Como qualquer processo alquímico… o que nos ensina o vinho da sua transformação e do seu ciclo? Talvez a noção de que não podemos alterar ou eliminar um ciclo, um contexto, uma terra. E como, in vino veritas, o que evapora o vinho sobre um nosso contexto político, económico e social?

5 Março 2021 / 21h30
Ao vivo do Facebook da Casa da Cultura | Setúbal

Criação e Interpretação: Eduardo Dias, João Mota, Patrícia Paixão | A partir de: “Os Ignorantes”, Étienne Davodeu; Al Berto; João Penha; Carmina Burana; “Rubaiyat, Odes ao Vinho”, de Omar Khayyam; “Odes à Embriaguez Divina”, de Jalal-Al-Din Rumi; “A Compendium of Witches”, de Nataša Ilinčić, | Música: Excertos de “Senhor Vinho”, de Alberto Janes; “António Santo”, de João Aguardela; “Eu Bebo Sim”, Elizeth Cardoso; “Venham mais Cinco”, Zeca Afonso | Voz-Off: Fábio Nóbrega Vaz, Inês Monteiro Pires, Joana Bento, Leonardo Silva | Imagem e Design de Comunicação: Tomás Barão | Operação Técnica: Leonardo Silva | Agradecimentos: João Tavares de Pina, de João Tavares de Pina Wines and Food; Vasco Croft, de Aphros Wine; Aline Domingues, de Menina Duva | Co-Produção: Casa Da Cultura – Setúbal | Produção Executiva: Teatro Estúdio Fontenova | Estrutura financiada: Governo de Portugal – Direção-Geral das Artes e Município de Setúbal

Classificação: M/ 12
Duração Aprox: 40min.