Trilogia Whitman – Capítulo II Saudação (2014)

Fotos | Digressão


Design Gráfico Leonardo Silva
Design Gráfico Leonardo Silva

“Nunca houve mais começos do que há agora,
Nem mais juventude ou velhice do que há agora,
E nunca haverá mais perfeição do que há agora,
Nem mais céu ou inferno do que há agora”

Walt Whitman

Trilogia Whitman—Capítulo II—Saudação, nasceu de um processo de criação colectiva que na sua génese tinha o ritmo marcado pelos escritos de Federico Garcia Lorca (1898-1936).

Através de Lorca e da sua “Oda” surgiu-nos o nome maior da poesia norte-americana, Walt Whitman (1819-1892). A idéia de juntar estes dois vultos da literatura mundial começou a ganhar forma e a despertar imaginários, até ao momento em que Fernando Pessoa (1888-1935) surgiu em cena, em tom acusador a Whitman “Saúdo-te em ti ó Mestre da minha doença de saúde, o primeiro doente perfeito da universalite que tenho (…)”

Com Whitman nascia esta união ibérica em resposta não só às “Folhas de Erva” (manifesto criado para impedir uma guerra), como à própria vida levada por Walt, uma tríade de poetas sempre desencontrados, no tempo ou na geografia.

A admiração dos dois poetas ibéricos ao norte-americano é visível em vários poemas que lhe dedicaram.

Mal poderíamos antever a última cartada de Pessoa que, num recém-descoberto baú nos revela aquilo que ainda não nos tinha dito aquando da primeira publicação de “Saudação a Walt Whitman”, pelo seu heterónimo Álvaro de Campos (1890—1935).

A trilogia seguirá depois para o terceiro capítulo, fortemente baseado em textos de Lorca sobre Walt Whitman, e terminará pelo princípio, com o primeiro capítulo, esse sim totalmente desenhado a partir da obra do autor norte-americano



FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Texto: Walt Whitman, Fernando Pessoa e Federico García Lorca | Criação: Colectiva | Direcção: José Maria Dias | Interpretação: Eduardo Dias e Wagner Borges | Músico: Filipe Oliveira | Apoio ao Movimento e Voz-off: Tiago Cunha Bôto | Música Original: Filipe Oliveira com a participação especial na guitarra de Davide Fournier | Espaço Cénico e Desenho de Luz: José Maria Dias | Realização, Videomapping e Fotografia: Leonardo Silva | Captação de imagem: Eva Pereira e Marta Banza | Produção Executiva: Graziela Dias | Participação especial no vídeo: Ricardo Guerreiro Campos | Produção áudio: Pedro Angelino | Assistência de Produção: Leonardo Silva

Agradecimentos: Zé Nova, Gertrudes Felix, Ana Felix, Samuel Trézor

Duração | 50 min

Classificação | M/16